MOVIMENTO MAIO AMARELO AGITA TRINDADE NA IMPORTÂNCIA DO TRÂNSITO MAIS SEGURO

*MOVIMENTO MAIO AMARELO AGITA TRINDADE NA IMPORTÂNCIA DO TRÂNSITO MAIS SEGURO*

As equipes das Secretarias de Saúde, Educação e Ação Social da Prefeitura de Trindade, DETRAN, Guarda Municipal, Lions Clube, Funerária Vip e Auto Escola São José, movimentaram a cidade hoje (31), no dia “D” em favor de um Trânsito Mais Seguro.

Os condutores de veículos e pedestres que passaram pelo centro da cidade, ao lado da Pomba, receberam orientações, com blitz educativa, panfletagem e momentos descontraídos com ações voltadas a orientações sobre o trânsito.

Coordenada pela Dra Mikaely, o Movimento Maio Amarelo nasceu com uma só proposta: chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo, em especial em Trindade e Região do Araripe.

“O número de acidentes no trânsito é alto e precisamos orientar a sociedade a usar o capacete, dirigir e conduzir sua moto em velocidade capaz dentro da cidade, aprender a usar o cinto de segurança dentro da cidade, inclusive para quem viaja no banco de traz do carro, porque muitos acham que só é para usar em viagens mais distantes, pela BR, frisou Dra Mikaely.

As ações duraram todo o mês de maio, nas escolas e hoje na cidade e continua durante todo o ano.

Da Assessoria de Comunicação (Fotos: Edson Vasconcelos e Lusmar Barros)

Da Assessoria de Comunicação (Fotos: Edson Vasconcelos e Lusmar Barros)

PEDAL NA CAATINGA RECEBE APOIO DA PREFEITURA DE TRINDADE

O prefeito Dr Everton Costa recebeu nessa quarta-feira (29) a equipe do Pedal na Caatinga do qual será sediada em Trindade no dia 16 de junho de 2019. A Prefeitura irá dar total apoio a esse grandioso evento que valoriza o esporte na cidade e região.

O Pedal na Caatinga / Warm Up, trata-se de uma competição interestadual, que promove a integração e o bem estar dos cidadãos trindadenses, suas famílias e público em geral, incentivando a prática do atletismo e um estilo de vida mais ativo e saudável.

O evento também terá atrações especiais com a presença de mais de 10 atletas para-motores, que acompanharão toda competição. Está previsto um público de mais de 200 atletas, indiretamente 600 pessoas. Participe você também!

Presentes a reunião, além do prefeito Dr Everton Costa, o secretário de Administração Charles Gerlane, Dr Valtenci Assunção (ass. Jurídico), da equipe do Pedal: Roudão Castro, Ciro Coutinho, Emílio Leocádio, Dr Marco Melo.

Da Assessoria de Comunicação (Foto: Reprodução)

AÉCIO NEVES TEM R$ 128 MILHÕES BLOQUEADO PELO JUSTIÇA

AÉCIO NEVES TEM R$ 128 MILHÕES BLOQUEADO PELO JUSTIÇA

O Deputado Federal Aécio Neves teve cerca de R$ 128 milhões de reais bloqueados pelo juiz da 6ª vara criminal de São Paulo, João Batista Gonçalves .   A suspeita é de supostas  propinas no grupo J&F.   De acordo com a investigação esse seria o valor recebido por Aécio em seu nome e em nome de terceiros.

As denuncias chegam até a ex Deputada Federal Cristiane Brasil(PTB) e ao também Deputado Federal Benito Gama( PTB), no valor de R$ 20 milhões de reais para cada um.

Segundo o Ministério Publico Federal(MPF), Aécio Neves quando senador, teria solicitado a Joesley Batista do grupo J&F, entre 2014 e 2017, vantagens em favorecimentos futuros, tanto no Governo Federal quanto no Governo de Minas Gerais .   Na época o então senador teria recebido do grupo J&F cerca de R$ 128,049,063,00 milhões de reais .

Parte desse repasse aconteceu nas eleições de 2014  e outra parte na compra de prédios ligados ao “Jornal Hoje em Dia”, além de  pagar prestações por meio de pessoa jurídica da “Rádio Arco Iris”.

“A defesa .considera inusitada a determinação dos bloqueios das contas pessoas do Deputado Aécio Neves, e já apresentou um recurso contra a medida” disse o advogado, Alberto Toron.

Onyx diz que 3 Poderes farão pacto a favor da retomada do crescimento

Lorenzoni destacou que o Brasil vive uma crise de empregabilidade e de dificuldades econômicas

Onyx diz que 3 Poderes farão pacto a favor da retomada do crescimento
Sem dar detalhes sobre o documento, Lorenzoni destacou que o Brasil vive uma crise de empregabilidade e de dificuldades econômicas, e que da reunião realizada pela manhã se consolida a ideia de formalizar um pacto “a favor da retomada do crescimento”. “Da reunião de hoje se consolida a ideia de que se formaliza um pacto de entendimento e algumas metas de interesse da sociedade brasileira a favor da retomada do crescimento”, disse.

Questionado se a reforma da Previdência estará prevista como uma das metas do pacto, o ministro respondeu ser “claro que reformar o sistema previdenciário brasileiro é uma exigência”. “Brasil está desequilibrado fiscalmente e tem um déficit fiscal de R$ 50 bilhões por ano, que tem origem na Previdência. Claro que isso fez parte da conversa, estão todos preocupados. Todos querem construir um caminho, como a gente diz, que possa passar o portal do equilíbrio fiscal e aí, ir para o caminho da prosperidade que é o que todos nós desejamos”, respondeu.

Segundo ele, o pacto será construído em comum acordo entre os Poderes, sendo que o texto base já foi apresentado nesta terça durante o encontro, “praticamente validado por todos”. Lorenzoni observou que o texto inicial é do presidente da Suprema Corte.

Em outubro do ano passado, Toffoli havia adiantado ao Broadcast Político sua intenção de realizar um pacto entre os Poderes, para garantir a realização de reformas capazes de recuperar o quadro econômico brasileiro.

Onyx Lorenzoni disse que o encontro estabelece a continuidade do diálogo e da harmonia e relembrou conflitos que aconteceram na história recente entre os Poderes. O ministro também afirmou que esses encontros periódicos vão se repetir para que “o diálogo entre os Poderes esteja cada vez mais fluído e sempre a favor do Brasil”.

“A reunião de hoje foi a continuidade de processo de diálogo que o presidente já tinha iniciado. Brasil precisa ter harmonia e entendimento entre todos os Poderes”, finalizou.

Estadão

Araripina e Ipubi participam do Dia do Desafio

Atividades esportivas gratuitas coordenadas pelo Sesc acontecerão em diversos locais dos dois municípios

Resultado de imagem para exercicios para o dia do desafio

Ilustração internet – Dia do Desafio.

Araripina e Ipubi serão as representantes do Sertão do Araripe em mais uma edição do Dia do Desafio, que acontecerá quarta-feira, 29 de maio. Coordenado pelo Sesc, com iniciativa da The Association for International Sport for All, o projeto é realizado pelas prefeituras municipais. Entre as atividades, que começam à meia-noite nos dois municípios, serão realizadas competições esportivas, alongamento, caminhada e ginástica recreativa e laboral em espaços públicos, escolas, academias e no Sesc. Todas as atividades são gratuitas e não é necessário se inscrever previamente.

Em sua 25ª edição, o projeto reunirá mais de 3 mil cidades de diversos países do mundo, cuja dinâmica sorteia municípios de porte semelhante para uma competição saudável, mobilizando a população contra o sedentarismo. Com o tema “Quando você abraça o desafio, o bem-estar abraça você”, Araripina vai disputar com a cidade de Surubim e Ipubi com João Alfredo, mantendo o formato adotado a partir de 2018, pelo qual as cidades se enfrentam em uma competição trienal que segue até 2020.

O objetivo é promover a competição e a cooperação para que as cidades troquem experiências, se ajudem e inspirem mutuamente. As duplas de cidades, de tamanhos equivalentes, foram definidas por sorteio. Além do desafio entre cidades, cada dupla entra na classificação do ranking Cidade + Cidade, contabilizando a soma dos resultados de ambos os municípios, e é atualizado a cada ano, estimulando a troca de boas práticas entre eles para que, juntos, alcancem um melhor resultado global.

Programação em Araripina:

0h – Abertura do Dia do Desafio com torneio de futsal na quadra do Sesc Ler, passeio ciclístico pelas principais ruas da cidade e aulão de zumba, também no Sesc.

5h – Atividade física e alongamento, no Pátio do Hotel Pousada do Araripe e Trevo da Perimetral.

6h – Alongamento e caminhada com o Grupo de Idosos Aconchego do Sertão e Lar Geriátrico, na Avenida Perimetral;

O Desafio vai às Academias (Academia Fitness, Academia Corpus, Academia Sesc Araripina e Academia Vida Ativa).

10h – Ginástica Recreativa, Jogos de Salão, Jogos Populares (Sesc);

           Ginástica Laboral no comércio e nas indústrias e entidades sociais (Ruas do Comércio, Pátio da Feira).

8h às 11h – O Desafio vai às Escolas (escolas públicas e particulares);

15h – Ginástica Recreativa, Jogos De Salão, Jogos Populares (Sesc Ler);

           Open de natação (Sesc Ler);

           Torneio de futsal ( Escolinhas de futsal de Araripina);

           Torneio de futsal (Escolinhas Sesc Araripina);

15h às 17h30 – O Desafio vai às Escolas (escolas públicas e particulares);

19h – Alongamento na Novena de Maria (Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição);

19h30 às 20h30 – Atividades Físicas e Alongamento (Pátio da Facisa e Fafopa);

21h – Aulão de funcional (Sesc);

          Duatlo com corrida e natação (Sesc e principais ruas da cidade)

Na cidade de Ipubi:

0h – Abertura solene na academia popular da cidade com participação do Jiu-Jitsu;

        Aulão de Ritmos e ciclismo (BNB e principais ruas da cidade);

5h30 – Atividades na Academia Popular da Cidade;

7h30 às 10h – O desafio vai para as escolas (escolas públicas e particulares);

11h – Ginástica Laboral no comércio e nas indústrias e entidades sociais (Ruas do Comércio e Pátio da Feira);

14h às 15h30 – O desafio vai às escolas (escolas públicas e particulares);

16h às 17h30 – Ginástica laboral nas indústrias gesseiras de Ipubi;

18h – Aulão de abdominal (Praça Siqueira Campos);

18h às 20h30 – Torneio de futsal e handebol (quadra poliesportiva central);

21h – Aulão de dança (Praça Siqueira Campos).

Presidente Bolsonaro Libera R$ 4 Bilhões Para Os Estados Do Nordeste

Nessa sexta-feira (24), o presidente Jair Bolsonaro (PSL), durante reunião com os governadores do Nordeste, em Recife, anunciou a liberação imediata de R$ 4 bilhões, para serem investidos em obras, sendo R$ 3 bilhões para a infraestrutura, e um bilhão para ao microcrédito rural.

O presidente confirmou repasse para o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) – sob comando do Banco do Nordeste (BNB). Bolsonaro afirmou que ele é presidente de todos os brasileiros e vai ajudar os estados mais pobres do Brasil.

Sistema que facilita posse de armas passa a valer hoje

A plataforma Sinarm II controla todas as armas de fogo legais que estão nas mãos da população brasileira

Para contemplar o decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro que flexibiliza a posse de armas de fogo no país, começa a funcionar nesta segunda-feira, 22, o novo Sistema Nacional de Armas, o Sinarm II. A plataforma da Polícia Federal é responsável por controlar todas as armas do território nacional que estão nas mãos da população, conforme previsto no Estatuto do Desarmamento.

Entre os dias 8 e 18 de abril, durante a migração dos sistemas, estava suspenso o recebimento de novos requerimentos. A partir desta segunda-feira, 22, com a ativação do Sinarm II, os requerimentos de aquisição, transferência, emissão e renovação de registro, guia de trânsito, ocorrência e porte de arma de fogo serão realizados pela internet, no portal da Polícia Federal, que foi remodelado.

Todo o processamento dos pedidos será realizado no próprio sistema, conforme determinado em publicação do Diário Oficial da União do último dia 8. O cidadão poderá acompanhar seu requerimento por e-mail ou pela internet.

  • Armas; Posse de armas; Arma de fogo

Na prática, as armas de fogo produzidas ou importadas pelo Brasil e sua movimentação no território nacional deverão ser cadastradas no Sinarm II, seja pelo fabricante ou importador. Em alguns casos excepcionais, as solicitações de emissão de porte continuarão a ser feitas no Sistema Eletrônico de Informações (SEI) e deverão ser colocadas no Sinarm II pelas unidades de controle de armas.

Em janeiro, o presidente Jair Bolsonaro assinou o decreto n.º 9.685/2019, que muda as regras sobre a posse de armas. Antes, era necessário que um delegado da Polícia Federal avaliasse caso a caso se o cidadão requerente precisava ou não de uma arma de fogo em sua residência ou negócio.

Veja também

Com o decreto, cidadãos em determinadas condições podem comprar armas sem essa análise individual. Quem vive em cidade ou estado onde a taxa de homicídios seja superior a 10 para cada 100 mil habitantes, moradores de áreas rurais, donos de estabelecimentos comerciais ou industriais, militares, agentes de segurança pública, administradores de penitenciárias, atiradores e caçadores registrados no Exército têm direito à posse. O decreto também aumentou a validade do registro de arma de fogo de cinco para dez anos.

Demais requisitos, como a comprovação da capacidade técnica para manusear a arma, a aptidão psicológica e a ausência de antecedentes criminais continuam válidos. O porte da arma de fogo, que é a livre circulação com o objeto, continua proibido no Brasil.

Exame

JUSTIÇA – Os cinco ministros que faltam para o STF

Com uma população de mais de 200 milhões e nesta quadra de sua história, em que praticamente tudo é levado ao Judiciário para ser solucionado, o Supremo Tribunal Federal não pode continuar sendo composto apenas por apenas onze ministros. No passado muito distante até que poderia. Hoje, não.

O então Supremo Tribunal de Justiça (1891) reunia 17 juízes. Com a Constituição Provisória de Junho de 1890, a Corte passou a ser composta por 15 juízes. Após a Revolução de 1930, o governo provisório reduziu para 11 o número de ministros, assim mantidos pela Carta Republicana de 1934. Veio o Ato Institucional nº 2, em 1965, e o número de ministros passou de 11 para 16, acréscimo mantido pela Carta de 1967. O Ato Institucional nº 6, de 1969 foi que restabeleceu o número de 11 ministros e a Constituição Federal de 1988 assim conservou a Corte, com 11 ministros.

Mas onze ministros e apenas duas turmas é muito pouco. Não dá conta dos processos. Hoje, cada ministro do STF tem de 2 mil a 3 mil processos sob sua relatoria!. O Tribunal Federal de Recursos era composto por 27 ministros. Com sua extinção e o surgimento do Superior Tribunal de Justiça (STJ) em 1988, esta nova Corte é integrada por 33 ministros. O Superior Tribunal Militar conta com 15 ministros.

Do jeito que está, os processos demoram tanto a serem julgados pelo STF que o(s) titular(es) da pretensão buscada no Judiciário perecem, morrem, e não chegam a ver decididas suas causas em definitivo.

A punibilidade dos crimes também prescreve e a justiça não é feita, tanta é a demora. Demora compreensiva. Para o tamanho do Estado Brasileiro, de sua imensa população e da judicialização de tudo, até de pequenas causas banais, pois tudo é levado ao Judiciário. O STF precisa ter o número de ministros aumentado. No mínimo, para 16 ministros.

Assim como está hoje, a Corte não dá conta do recado. Os direitos perecem. Em 1970, quando o Brasil foi tricampeão de futebol no México – e até inspirou a letra de música incentivadora da seleção – tínhamos uma população de 90 milhões e o STF 11 ministros. Agora somos quase 210 milhões e o STF continua com 11 ministros!.

Sugere-se ao presidente Jair Bolsonaro que expeça Projeto de Emenda Constitucional com o propósito de alterar o número de ministros do STF de 11 para 16, composição que seria a ideal e compatível com a pletora de ações que tramitam na Corte.

Tanto contribuiria para a diminuição da demora no julgamento dos processos e o STF aumentaria suas turmas julgadoras: de duas para três turmas, cada uma com 5 ministros, visto que o ministro-presidente não integra nenhuma turma.

Composição dos tribunais superiores não é cláusula pétrea e pode ser alterada por meio de Projeto de Emenda Constitucional (PEC).

O minuto

 

Ato no Rio tem pedidos de fechamento do Congresso e do STF e intervenção militar

Brasília - Manifestantes vão a Esplanada dos Ministérios contra a corrupção e pela saída da presidenta Dilma Rousseff (Wilson Dias/Agência Brasil)No Rio de Janeiro, onde o presidente Jair Bolsonaro (PSL) construiu sua carreira política, o público que compareceu ao ato deste domingo, 26, a favor de seu governo ocupou 800 metros da pista mais perto da praia da avenida Atlântica, em Copacabana (zona sul). Embora as principais pautas fossem quase unânimes – a aprovação do pacote anticrime proposto pelo ministro da Justiça, Sergio Moro, a aprovação da reforma da Previdência e o apoio irrestrito ao presidente -, havia uma profusão de pautas divergentes – muita gente pedia o fechamento do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal, outros exigiam intervenção militar imediata, o fim do exame nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e até a renovação da frota de ônibus municipais de Duque de Caxias (Baixada Fluminense).

Nem a Polícia Militar nem participantes do ato divulgaram alguma estimativa de público. A imensa maioria dos participantes usava camisas verde e amarelas, algumas personalizadas com frases de apoio a Bolsonaro ou a Moro. Embora políticos do PSL, como a deputada estadual Alana Passos, tenham comparecido e discursado, todos ressaltaram que estavam presentes como “cidadãos” e não como políticos.

Olavo de Carvalho

A maior concentração de público ocorreu ao redor do caminhão de som do Movimento Brasil Conservador, cujos integrantes fizeram homenagens ao ideólogo Olavo de Carvalho e executaram o Hino Nacional pelo menos 11 vezes. “Viva Sergio Moro, viva Damares (Damares Alves, ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos). Esse é o primeiro governo em que o povo sabe o nome dos ministros”, discursou um dos líderes do grupo, emendando o coro “Ão, ão, ão, Olavo tem razão”.

A reportagem contou nove caminhões de som, a maioria concentrada ao longo de 400 metros ao redor do Posto 5. Devido à proximidade entre os veículos, alguns discursos divergentes eram feitos lado a lado. Enquanto um empresário de Itaguaí mandava “um recado ao pessoal de (Ciências) Humanas: a guerra fria acabou”, no carro de som vizinho um homem que se apresentou como militar paraquedista gritava que “(o presidente da Câmara dos Deputados) Rodrigo Maia (DEM-RJ) é comunista”.

Embora não tenham faltado cartazes e faixas pedindo o fechamento do Congresso Nacional, Maia foi individualmente o deputado mais criticado. Até um boneco gigante do parlamentar, anunciado como “o Judas do 17”, referência ao número do PSL, partido de Bolsonaro, foi inflado e exposto na orla, ao lado de um “pixuleco”, como ficou conhecido o boneco do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva trajado como presidiário. “Maia é o traidor desse governo”, afirmou o administrador Ronaldo Magalhães, de 37 anos, autor da ideia de confeccionar o boneco do parlamentar.

Em um carro de som levado à manifestação por empresários e políticos de Itaguaí, um banner anunciava que Maia “nem brasileiro é”. Ele nasceu no Chile, em 1970, porque seu pai, o ex-prefeito e atual vereador do Rio César Maia (DEM), estava exilado naquele país. O Brasil vivia a ditadura militar (1964-1985). Maia foi registrado na embaixada do Brasil em Santiago, o que lhe garante a condição de brasileiro nato. “Rodrigo Maia nos traiu, tem que sair imediatamente. Temos que colocar (na presidência da Câmara) alguém identificado com as pautas deste governo, não alguém que só quer atrapalhar”, afirmou o empresário Donizete Pereira, de 50 anos.

O clamor pelo fechamento do Congresso e do Supremo Tribunal Federal era intenso. Um carro de som exibia faixas pedindo “intervenção militar já”. “A ditadura é que era boa, não tinha pobreza, não tinha favela nem esse monte de pivetes na rua”, garantiu a dona de casa Margarida, de 70 anos, que se deixou filmar e fotografar, mas não quis contar o sobrenome.

Rio de Janeiro - Manifestação em Copacabana contra a corrupção e pela saída da presidenta Dilma Rousseff (Tânia Rêgo/Agência Brasil)
Rio de Janeiro – Manifestação em Copacabana contra a corrupção e pela saída da presidenta Dilma Rousseff (Tânia Rêgo/Agência Brasil)

A manifestação do Movimento Vem Pra Rua, no Rio de Janeiro, durou cerca de cinco horas e ocupou vários quarteirões nas duas faixas da Avenida Atlântica, na orla de Copacabana, zona sul da cidade, neste domingo (13). O que mais se viu foram bandeiras do Brasil, cartazes contra o governo federal e o PT, empunhados por manifestantes vestidos de verde e amarelo.

A Polícia Militar acompanhou a manifestação com viaturas e um helicóptero. Não foram registrados confrontos nem incidentes graves. A PM não divulgou número de manifestantes, mas os manifestantes ocuparam cerca de dez quarteirões da orla. A apresentação do hino nacional encerrou a manifestação.

Por volta das 9h, teve início a concentração na altura do Posto 5, seguida de uma caminhada de cerca de dois quilômetros. A diversidade de ideias marcou o encontro. Alguns defendiam a intervenção militar, faixas pediam novas eleições, outras defendiam que o juiz Sérgio Moro, que julga, em primeira instância, os processos resultantes da Operação Lava Jato, se candidate à Presidência da República.

Os manifestantes também levavam faixas contra a legalização do aborto. Porém, a defesa pelo impeachment da presidenta Dilma Rousseff e a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva monopolizaram os discursos nos três carros de som.

O analista de sistema Ricardo Meneses, de 33 anos de idade, se manifestou contra o impeachment. “Acho que não é por aí. Temos que pressionar por uma reforma política, porque tirar a presidente não vai mudar nada, só vai enfraquecer o país”, disse.

O pedreiro aposentado Paulo Cordeiro acordou às 4h e saiu de Duque de Caxias, Baixada Fluminense, de trem, para a manifestação na zona sul. “Vim para melhorar o Brasil, porque está tudo ruim. O custo de vida aumentou e o dinheiro que a gente ganha não dá mais para nada”, disse.

A professora Susana da Costa Santos, 58 anos, veio em caravana de seis ônibus do condomínio onde mora na Barra da Tijuca, zona oeste. “Estamos todos focados em apoiar a Polícia Federal e o Ministério Público, que estão protegendo o povo, que é trabalhador. Estou aqui, porque temos que nos unir por um país sério e justo”.

Moradores de prédios na Avenida Atlântica apoiavam a manifestação com bandeiras do Brasil estendidas em suas janelas. Um avião, que sobrevoou a orla várias vezes com a faixa “Não vai ter golpe”, foi vaiado todas as vezes pelos manifestantes.

Por volta das 15h, os manifestantes começaram a dispersar na altura do Posto 2.

Na concentração, no Posto 5, havia uma fila em frente a uma tenda que colhia assinaturas de apoio à Proposta de Emenda à Constituição 361 (PEC), que propõe aumentar a autonomia da Polícia Federal.

São Paulo

São Paulo - Manifestação na Avenida Paulista, região central da capital, contra a corrupção e pela saída da presidenta Dilma Rousseff (Rovena Rosa/Agência Brasil)
São Paulo – Manifestação na Avenida Paulista, região central da capital, contra a corrupção e pela saída da presidenta Dilma Rousseff Rovena Rosa/Agência Brasil

Em São Paulo, manifestantes a favor do impeachment já se concentravam na Avenida Paulista, região central da capital, antes das 14h. Por volta das 10h, chegaram os primeiros caminhões de som dos grupos que organizam o protesto contra o governo.

A maior parte das pessoas veste verde e amarelo ou carrega a Bandeira Nacional. Os manifestantes ocupam a via que, aos domingos, costuma ser fechada aos carros e usada como rua de lazer. Dois bonecos infláveis gigantes, um representando Dilma e outro o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em roupas de presidiário, foram instalados no centro da avenida. Nos acessos à via, ambulantes vendem réplicas do boneco e bandeiras do Brasil.

Salvador

Salvador - Manifestação em Salvador contra a corrupção e pela saída da presidenta Dilma Rousseff (Sayonara Moreno/Agência Brasil)
Salvador – No Farol da Barra, manifestantes se reúnem a favor do impeachment da presidenta Dilma Rousseff Sayonara Moreno/Agência Brasil

Manifestantes contrários ao governo Dilma reuniram-se às 10h, na Barra, bairro de classe média em Salvador. Segundo a Polícia Militar, cerca de 20 mil pessoas participaram do protesto, que se encerrou no Farol da Barra, onde houve dispersão dos participantes por volta das 13h.

O Farol da Barra é um dos principais pontos turísticos da capital baiana. Do local, os manifestantes seguiram para o Mirante Cristo da Barra, outro ponto turístico, onde os participantes posaram para uma fotografia, rezaram um Pai Nosso e aplaudiram, ao meio-dia, o juiz Sérgio Moro, que julga, em primeira instância, os processos resultantes da Operação Lava Jato.

A empresária Maria da Glória Carvalho, 59 anos, diz que está protestando contra a corrupção. “Sou empresária, produtora agrícola e fazendeira. O Brasil está tomado pela corrupção e precisa mudar. Nós precisamos limpar o nome do nosso país”, disse a moradora do Caminho das Árvores, bairro de Salvador.

O ato foi convocado nas redes sociais pelo Movimento Brasil Livre (MBL), principal organizador do protesto, que ocorre simultaneamente em várias cidades do país. Um dos coordenadores do MBL na Bahia, Eduardo Costa, destacou o impeachment da presidenta Dilma Rousseff como o principal ponto de pauta do movimento. “Fora Dilma, fora Lula, fora PT. Há outras coisas que precisam ser feitas, mas temos que começar por aí, para que outros governantes retomem os rumos do nosso país.”

Recife

Recife - Manifestação no Recife contra a corrupção e pela saída da presidenta Dilma Rousseff (Sumaia Villela/Agência Brasil)
Recife – Na Praia de Boa Viagem, manifestantes se reúnem em apoio ao combate à corrupção e pela saída da presidenta Dilma Rousseff Sumaia Villela/Agência Brasil

A manifestação contra o governo federal, no Recife, levou 120 mil pessoas, segundo a Polícia Militar, à orla da capital pernambucana, no bairro de Boa Viagem. O ato, que começou às 10h, pediu o impeachment da presidenta Dilma Rousseff e a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Sob um sol intenso, três trios elétricos e um carro de som puxavam o ato. Os manifestantes vestiam verde e amarelo e levavam cartazes pedindo o impeachment e criticando o Partido dos Trabalhadores (PT). Muitas bandeiras do Brasil foram levadas, e também cartazes de apoio ao juiz Sérgio Moro, responsável pelo processo da Operação Lava Jato, que investiga a lavagem e desvio de dinheiro envolvendo a Petrobras, grandes empreiteiras do país e políticos de vários partidos. Até um boneco de Olinda do juiz foi levado para o ato.

A multidão percorreu a avenida da orla no bairro de Boa Viagem, um setor nobre da capital pernambucana. Muitos moradores de prédios que ficam à beira mar colocaram mensagens e bandeiras brasileiras nas janelas em apoio à manifestação. A parte da frente dos edifícios funcionaram como uma espécie de camarote, de onde os recifenses aplaudiam o ato e gritavam mensagens contra o governo.

Fortaleza

Em resposta à manifestação contra o governo federal e contra o ex-presidente Lula, militantes e parlamentares do PT realizaram hoje (13) pela manhã uma carreata pelas ruas da periferia de Fortaleza. O grupo se concentrou no bairro Parangaba e percorreu cerca de 12 quilômetros pelo lado oeste da cidade em direção à orla do bairro Pirambu.

A caravana foi organizada pelo líder do Governo na Câmara, deputado federal José Guimarães (PT-CE), que disse que o evento foi uma preparação para o ato que será realizado no dia 18 de março em todo o Brasil. “É muito importante sermos solidários a Lula neste momento, pelo que ele representa para o povo brasileiro. Isso aqui é só o ‘esquenta’ para o dia 18. Se os manifestantes contra o governo vão botar hoje muita gente nas ruas, nós vamos botar o dobro no dia 18.” Em Fortaleza, o ato vai se concentrar na Praça da Bandeira, no centro da cidade.

Pelas avenidas, várias pessoas nas calçadas demonstravam apoio. Algumas portavam bandeiras vermelhas. Houve também quem se colocou contra a manifestação. A Polícia Rodoviária Estadual prestou apoio à carreata durante o percurso. Por meio da assessoria de imprensa, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social afirmou que não vai se manifestar sobre a estimativa de público do evento.

Brasília

Brasília - Manifestantes vão a Esplanada dos Ministérios contra a corrupção e pela saída da presidenta Dilma Rousseff (Wilson Dias/Agência Brasil)
Brasília – Manifestantes vão à Esplanada dos Ministérios protestar contra o governo Dilma Rousseff Wilson Dias/Agência Brasil

A manifestação em Brasília de apoio ao combate à corrupção e a favor do impeachment da presidenta Dilma Rousseff, realizada na Esplanada dos Ministérios, terminou ao som do Hino Nacional. Ao final do hino, os manifestantes gritaram “Fora, PT”.

Segundo a Polícia Militar, 100 mil pessoas participaram da manifestação. Não houve ocorrência de atos violentos, segundo a PM, apenas registro de extravio de documentos e atendimento de pessoas com mal-estar. O percurso dos manifestantes começou no Museu da República e foi até o Congresso Nacional, em um total de dois quilômetros.

No país

As manifestações de apoio ao combate à corrupção, contra o governo e a favor do impeachment foram marcadas em mais de 500 cidades pelo país. A maioria delas organizada pelo Movimento Vem pra Rua ou pelo Movimento Brasil Livre. Eventos de apoio ao governo Dilma e a Lula também ocorreram no Rio de Janeiro, São Bernardo do Campo (SP) e Porto Alegre. A Central Única dos Trabalhadores marcou para o próximo dia 18 manifestações em defesa da democracia em todo país. Em Brasília, manifestação organizada pelo PT que ocorreria na manhã de hoje foi cancelada depois que o governo local invocou a regra estabelecida pela Constituição de que dois eventos públicos ao ar livre não podem ocorrer no mesmo lugar.

Edição: Fernando Fraga.

Agência Brasil

As próximas eleições municipais podem ser CANCELADAS!

Isso mesmo que você leu, o Congresso Nacional desarquivou a PEC 376, de 2009, que não foi aceita na época, mas, misteriosamente agora ficou mais interessante.

A proposta é do deputado Ernandes Amorim do PTB (RO), e tenta juntar as eleições numa só, tanto federal quanto municipal, aumentar o tempo do mandato e TERMINAR COM A REELEIÇÃO.