Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia

Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais.

 

 

No link do site do Ministério da Cultura a seguir, você confere o processo de concessão do benefício fiscal da Lei Rouanet da grana que o Banco Santander usou para financiar a exposição, o que significa que a instituição financeira não recolheu impostos sobre esse valor: http://versalic.cultura.gov.br/#/projetos/164274

 

Processo Pronac 164274 do Ministério da Cultura.

 

Subsidiárias do Banco Santander usadas para financiar o projeto.

Os YouTubers RafinhaBK e Felipe Diehl foram expulsos do prédio do Santander Cultural pelos curadores do projeto Queermuseu ao tentarem registrar com câmeras o conteúdo da “arte” ali exposta.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *